Renda

Renda

Metodologia De Gestão De Empreendimentos Solidários Por Meio De Indicadores

Instituto Consulado da Mulher

A metodologia de Gestão de Empreendimentos Solidários é um conjunto de ferramentas desenvolvido para atuação com grupos populares de predominância feminina. Esta tecnologia estabelece processos e práticas educativas de fomento à geração de renda, tendo como premissa central o protagonismo feminino, a equidade de gênero e o empoderamento de mulheres. As práticas propostas na metodologia de trabalho estão fundamentadas nos princípios de Educação Popular e no Trabalho em Rede. A aplicação desta metodologia vem sendo aperfeiçoada ao longo do tempo e apresenta resultados concretos no incremento de renda para populações em vulnerabilidade, especialmente entre empreendimentos informais.

Temas: Renda Ver mais

Metodologia De Gestão De Redes De Feiras Agroecológicas Solidárias

Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá

A metodologia de Gestão de Redes de Feiras Agroecológicas Solidárias vem sendo aperfeiçoada há 19 anos de forma coletiva e participativa por agricultores e agricultoras familiares que são assessorados pelo Centro Sabiá cuja finalidade é o desenvolvimento de processos de gestão de feiras e redes de comercialização agroecológica que proporcionem a autonomia das famílias nos processos de comercialização, geração de renda e melhoria da qualidade de vida. Sua aplicação apresenta resultados concretos no que diz respeito ao incremento da renda e fortalecimento da autonomia das famílias agricultoras nos processos de gestão das feiras agroecológicas que compõem a Rede Espaço Agroecológico

Temas: Renda Meio ambiente Ver mais

Metodologia De Grupos De Oportunidade Local E Desenvolvimento - Gol.d +

Visão Mundial

A metodologia GOL.D é uma ferramenta de educação financeira que de maneira simples e prática faz com que os participantes dos grupos despertem em si o desejo de tornar seus sonhos realidade. Ela mostra que é possível alcançar tudo que se deseja com mudanças simples de habito. Poupar e empreender

Temas: Educação Renda Ver mais

Metodologia De Incubação Para Empreendimentos De Economia Solidária

Fundação de Integração, Desenvolvimento e Educação do Noroeste do Estado

O objetivo é socializar a prática desenvolvida por mais de uma década, pela Incubadora de Economia Solidária, Desenvolvimento e Tecnologia Social/Itecsol Unijui, com o intuito de promover o crescimento econômico, inclusivo e sustentável, geração de trabalho digno e renda para grupos em vulnerabilidade social. A metodologia social está fundamentada numa pesquisa-ação, embasada nas experiências vivenciadas com empreendimentos e outras incubadoras de Economia Solidária, bem como com a incorporação recente de contribuições da metodologia baseada nas práticas estabelecidas pelo CERNE. Os resultados obtidos potencializam a socialização e replicação em outros empreendimentos econômicos solidári

Temas: Renda Ver mais

Metodologia De Iniciação Musical - Orquestra De Cordas Da Grota

RECICLARTE

Educação musical, iniciação na música erudita com leitura de partitura, para alunos de escolas públicas em aulas no contraturno escolar. Eles levam o instrumento para estudar em casa, estabelecendo-se uma parceria aluno-professor. Aperfeiçoam habilidades e ao final do curso, têm formação técnica para gerar renda como músico ou instrutor de música.

Temas: Educação Renda Ver mais

Metodologia De Rede De Geração De Trabalho E Renda

Rede Cidadã

A Rede Cidadã é uma organização social sem fins lucrativos e desde sua fundação, em 2002, iniciou o seu projeto social estabelecendo um vínculo entre cidadania e trabalho, acreditando que a melhor forma de promover a cidadania é preparando as pessoas para terem autonomia econômica e assumirem a construção dos seus direitos de cidadania por conta própria. Para isso, a Rede Cidadã criou uma metodologia de Rede de Geração de Trabalho e Renda capaz de unir a demanda das empresas por novos profissionais e os jovens que representavam 2\3 da população economicamente ativa desempregada. Nesse sentido, era necessário oferecer para os jovens de comunidades de baixa renda a formação mínima necessária para serem inseridos no mercado de trabalho e era também fundamental que ocorresse o cruzamento entre as competências individuais dos jovens com as competências requeridas nas funções disponíveis neste mercado. O que chamamos de colocar o jovem certo na vaga certa. Essa foi a estratégia de dotar o projeto social das características de um serviço oferecido ao mundo corporativo no campo do recrutamento e seleção, podendo ao mesmo tempo integrar os conceitos da responsabilidade social empresarial com a sua necessidade de contratar profissionais para o desenvolvimento do seu negócio. Assim, ao mesmo tempo que a empresa realiza cidadania corporativa, ela faz recrutamento e seleção para suas necessidades, por meio de um projeto social capaz de gerar renda para jovens cidadãos das vilas e favelas e fortalecer as condições de acesso destes jovens ao mundo corporativo. Durante 14 anos, a Rede Cidadã estabeleceu aliança com 2,1 mil empresas, 689 organizações sociais, contando com o envolvimento de 2300 voluntários, em 47 cidades de 9 estados do Brasil. Hoje já são 57.901 jovens inseridos no mercado de trabalho. O relacionamento estreito com as empresas, especialmente com as áreas de recursos humanos, aos poucos foi ensinando a organização a criar melhorias contínuas para maior assertividade na formação dos jovens e sua alocação na vaga certa. Para isso, ao longo deste tempo, mais de 70 cursos diferentes foram realizados e foi adotada uma ferramenta de assessment para oferecer aos jovens a compreensão de competências comportamentais e habilidades inatas para o trabalho. A convivência com os gestores de pessoas evidenciou a máxima de que o que contrata são as competências técnicas, mas o que demite são as atitudes comportamentais. Essa percepção era vivida pela nossa equipe que realizava grande esforço por inserir jovens nas empresas e percebia a baixa sustentação da conquista do emprego, em poucos meses de trabalho, muitos eram demitidos. Na medida em que conversávamos com os jovens que voltavam a nos procurar após sua demissão, fortalecia-se a necessidade de incluir na sua formação, a crença em valores, o domínio do autoconhecimento e a percepção da importância de um trabalho com significado para a vida. Tudo isso, visando a capacidade de lidar com conflitos, construir relacionamentos duradouros, saber aproveitar seus talentos no trabalho e fazer do trabalho suporte à realização de seus sonhos. Para tanto, era necessário aumentar o seu tempo de permanência nas empresas o que somente seria possível, segundo nosso ponto de vista, através do uso do consciente do seu emocional. Então, surgiu uma pergunta: como preparar os jovens para o domínio do seu coeficiente emocional com o curto prazo que estes jovens passavam pelas nossas formações? A busca de escala do projeto social já tinha obtido sucesso, mas havia um contraponto, as formações eram rápidas, e a metodologia utilizava de 5 dias para preparar os jovens para vencerem o processo de recrutamento nas empresas. Como acrescentar maior formação em valores e desenvolver o autoconhecimento capaz de criar o controle emocional, sem aumentar demasiadamente o tempo de formação? As respostas a essas questões demonstrarão a construção de uma nova versão para a RGTR no seu eixo de empregabilidade. Após um ano de projeto piloto, os resultados da aprendizagem do autoconhecimento e da gestão emocional revelaram na comparação entre o grupo controle e o grupo de jovens que participaram deste trabalho, que dos jovens contratados que não tiveram a formação deste projeto, apenas 25% continuam contratados após um ano. E dos jovens contratados que tiveram a formação descrita neste projeto, 78% permaneceram após um ano. Assim a metodologia RGTR no eixo da empregabilidade ganha um novo foco e uma nova definição conceitual, teórica e prática, denominada Autoconhecimento e gestão emocional na formação de jovens para a vida e o trabalho.

Temas: Renda Ver mais

Metodologia Para Construir E Reaplicar Uma Tecnol Social Na Agricultura Familiar

Polo de Proteção da Biodiversidade e Uso Sustentável dos Recursos Naturais (POLOPROBIO)

A metodologia desenvolvida visa interagir com diferentes grupos sociais, fazendo com que experiências seculares e conhecimentos populares da agricultura familiar, restritos a comunidades isoladas, possam ser aprimorados e reaplicados para a geração de trabalho e renda.

Temas: Meio ambiente Renda Ver mais

Metodologia Ser +

Instituto Social Ser Mais

É uma ferramenta para promover o desenvolvimento humano e formação técnica de jovens vulneráveis, que tem como princípio os quatro pilares da educação para o desenvolvimento humano: aprender a conhecer, a fazer, a viver com os outros e a ser. É trabalhada por meio da: Autoestima, que incentiva a valorização das trajetórias e sonhos; Autoconhecimento, que favorece a descoberta do potencial humano e a capacidade de liderança de cada jovem; e Descoberta de Talentos, que permite a descoberta de quais atividades fazem seus olhos brilharem. É colocada em prática, junto à comunidade, por meio do Projeto de Vida e Carreira, de Ação Social, Desenvolvimento Local e Empregabilidade.

Temas: Educação Renda Ver mais

Metodologia Social Para Habitação Popular-Aplicada Nas Aldeias Indígenas Pataxós

Grin9 Educação e Gestão Ambiental

• A metodologia social MINTEGRA, aplicada na comunidade indígena de Aldeia Velha, Porto Seguro-Ba, promoveu, além da melhoria imediata das condições de habitabilidade, a qualificação gradativa e continuada dos benenficiários na construção civil, com a formação profissional de pedreiros.

Temas: Habitação Renda Ver mais

Moradia: Soluções Dignas E Comunitárias

Associação Ateliê de Ideias

Estratégias e ferramentas integradas para promover o acesso de populações de baixa renda a moradia digna, segura e sustentável: crédito habitacional, produção e difusão de soluções e técnicas viáveis para famílias pobres, e assistência técnica para construção e reforma, dando eficiência às obras.

Temas: Habitação Renda Ver mais

Fale Conosco