Alimentação | Tecnologias Sociais | Transforma! - Rede de Tecnologias Sociais

Alimentação

Alimentação

Sistema De Bioágua Familiar

ASSOCIAÇÃO VOLUNTÁRIOS PARA O SERVIÇO INTERNACIONAL

O sistema de Bioágua Familiar é uma tecnologia social de convivência com o semiárido. Desenvolvido para potencializar a agricultura familiar, o Bioágua dá uma destinação social e ambientalmente correta à água normalmente descartada no solo após o uso nas residências (banho, lavagem de pratos, de roupas, pias). O Sistema filtra as águas cinzas domésticas direcionando-a para um quintal produtivo diversificado e agroecológico, permitindo, desta forma, que pequenos agricultores, que contam com chuva para o plantio durante apenas três meses do ano, possam ter um cultivo diversificado e permanente.

Temas: Alimentação Recursos Hídricos Ver mais

Sistema De Pedidos De Cestas Agroecológicas

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Para a construção da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional de uma população, é essencial a produção de alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos a partir de relações justas de trabalho e em harmonia com a natureza. O escoamento desses produtos é um empecilho e prejudica diretamente a renda dos pequenos agricultores. Como forma de auxiliar o processo de comercialização, foi desenvolvido o “Sistema de Pedidos de Cestas Agroecológicas”, uma ferramenta tecnológica que facilita a venda online de produtos oriundos da agricultura familiar e agroecológica. Essa tecnologia social teve sua concepção e primeira aplicação realizada junto ao projeto Terra Crioula na cidade do Rio de Janeiro.

Temas: Renda Alimentação Ver mais

Sistema Integrado De Inovação Tecnológica E Social - Sitecs

Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

É um processo de atuação sistêmica, em rede, que envolve o setor acadêmico, empreendimentos econômicos solidários, incubadoras de empresas, empresas de comercialização e setores governamentais, para institucionalizar, em universidades, a incubação de empreendimentos econômicos solidários. O SITECS baseia-se na articulação de organizações para concepção e execução de projetos e programas. O principal espaço de mobilização, sensibilização, prospecção, qualificação e articulação do SITECS é o Fórum Territorial de Segurança Alimentar e Nutricional da Baixada Cuiabana – FTSAN-BC.

Temas: Renda Alimentação Ver mais

Sistema Participativo De Garantia Abio: Uma Ferramenta De Certificação Inclusiva

Associação de Agricultores Biológicos do Estado do Rio de Janeiro

O Sistema Participativo de Garantia ABIO (SPG-ABIO) é uma metodologia para a avaliação da conformidade de produtos orgânicos, reconhecida pelo MAPA – Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, onde os produtores se organizam em uma rede constituída por Núcleos e Grupos de SPG e são ligados e coordenados por um OPAC - Organismo Participativo de Avaliação de Conformidade, responsável pela guarda de documentos, emissão dos certificados e do selo. Nesta metodologia, os agricultores e produtores são coletivamente e solidariamente responsáveis pela avaliação da conformidade dos sistemas de produção orgânica das unidades - produtivas e pelas decisões de certificação.

Temas: Alimentação Meio ambiente Ver mais

Sistema Tipitamba: Agricultura Familiar Sem Queimadas Na Amazônia

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Amazônia Oriental

A tecnologia da Embrapa Amazônia Oriental propõe uma alternativa ao método tradicional de derruba e queima na agricultura familiar amazônica pelo preparo de área sem o uso do fogo, resgatando a sustentabilidade social, econômica e ecológica da unidade familiar rural.

Temas: Meio ambiente Alimentação Ver mais

Sistemas De Irrigação Alternativos De Baixo Custo

Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho

A tecnologia inclui procedimentos dimensionais, operacionais e construtivos dos principais sistemas de irrigação, por sulcos, aspersão convencional e localizada com o objetivo de reduzir custos fixos (componentes alternativos) e variáveis (consumo energético) preservando a qualidade ambiental.

Temas: Alimentação Renda Ver mais

Sisteminha Integrado Alternativo Para Produção De Alimentos

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Meio-Norte

Utilizar um pequeno tanque de 6000 l, com recirculação da água, construído com materiais diversos (papelão, varas e plástico) como motor na produção totalmente integrada e escalonada de peixes, verduras, frutas, milho verde, húmus de minhocas, ovos de galinha e forragem hidropônica.

Temas: Alimentação Recursos Hídricos Ver mais

Tanques Em Lajedos De Pedra

Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS)

Visando reduzir a vulnerabilidade de famílias rurais do semiárido frente à escassez de água e a irregularidade na distribuição de chuvas, foi resgatada e aplicada uma técnica que permite a captação de água de chuva. Esta técnica se refere aos tanques construídos em lajedos de pedras. O trabalho consiste em desassorear uma venda já existente na rocha e otimizar seu entorono para captação e aumplilação do volume de água armazenada. Quando o lajedo é declinado se torna mais viável otimizar a área como captação de água e canalizar para cisternas uma vez que a cisterna se constitui um local mais adequado para o armazenamento.

Temas: Recursos Hídricos Alimentação Ver mais

Tecnologia Juncao Modificada Para Produção De Cogumelos Comestíveis E Medicinais

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

A TECNOLOGIA "JUNCAO" MODIFICADA é uma técnica de cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais. Ela é baseada no aproveitamento de gramíneas, como principal componente, associadas a outros insumos, como farelo, gesso e outros resíduos orgânicos. Após essa etapa, o material é esterilizado, colocado em sacos de polipropileno e inoculado com “sementes” de cogumelos. Os materiais são transferidos para uma sala escura com o objetivo de iniciar o processo de desenvolvimento vegetativo do cogumelo. A tecnologia foi adaptada pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia para as condições tropicais. Suas principais vantagens são: aproveitamento de recursos agrícolas abundantes e inexplorados; boa produtividade; curto período de cultivo; praticidade e fácil aplicação; alta qualidade dos produtos; efeito intenso no balanço ecológico em área de solo com erosão (recuperação de áreas degradadas); produção em pequenas áreas e ausência do uso de agrotóxicos (URBEN et al, 2017). A tecnologia também tem contribuído significativamente para a economia circular baseada no reuso de materiais, contribuindo no desenvolvimento de outras atividades produtivas, como horticultura, fruticultura, pecuária, cosméticos, produção de fármacos, artesanato e bioenergia (ANTUNES et al., 2020). Em síntese, a TECNOLOGIA "JUNCAO" MODIFICADA proporciona que as biomassas pós-colheita dos cogumelos possam ser usadas como fertilizantes e defensivos agrícolas naturais. O principal impacto positivo relacionado ao aspecto trabalho/emprego está associado à capacitação. Os produtores em geral têm se dedicado em conhecer aspectos gerais e específicos da fungicultura. Alguns deles recorrem à prática de orientação de produtores mais experientes e outros se aprofundam em conhecimentos sobre marketing. Também é significativo o número de produtores que têm contratado mão-de-obra para auxiliar na produção, gerando impacto positivo sobre a qualificação e oferta de trabalho, principalmente os que se envolvem na produção do composto. Em média, cada produtor tem contratado dois colaboradores permanentes e dois temporários. Mesmo assim, a maior parte dos empreendimentos são familiares o que envolve o engajamento de cônjuges e filhos na produção. Em um universo de 20 produtores que têm se destacado na adoção da tecnologia, identificam-se pelo menos 6 mulheres à frente dos empreendimentos. Esse grupo feminino representa empreendedoras com suas empresas com marcas registradas, o que demonstra impacto sobre oportunidade, emancipação e recompensa equitativa entre gêneros, gerações e etnias. A tecnologia é repassada para a sociedade por meio da transferência de conhecimento na forma de cursos. Nestas capacitações o público alvo (agricultores, estudantes de graduação e pós-graduação, veterinários, entre outras áreas profissionais) torna-se habilitado a executar todas as etapas de cultivo de cogumelos, incluindo a produção de "sementes". Também há transferência de conhecimento por meio de workshops e simpósios internacionais. Ao total, já foram capacitados 1.751 agentes multiplicadores em um total de 53 Cursos, realizados durante o período de 1996 a 2019.

Temas: Alimentação Saúde Ver mais

Tecnologia Social De Formação De Agentes De Inovação Socioambiental (Ts - Agis)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

A Formação de Agentes de Inovação Socioambiental coloca em interação os saberes dos agricultores, pesquisadores, estudantes e extensionistas acerca das inovações sociotécnicas e do uso e gestão dos recursos (naturais, produtivos, culturais, técnicos, econômicos e sociopolíticos). Apoiada na cartografia social, em métodos participativos e na construção interdisciplinar do conhecimento agroecológico, reforçando as competências locais. A TS tem promovido o intercâmbio de experiências ancoradas no saber-fazer agroecológico em torno da produção orgânica e da segurança alimentar onde a geração de novidades sociotécnicas e aprendizagens territoriais ocupam lugar de destaque.

Temas: Meio ambiente Alimentação Ver mais

Fale Conosco