Alimentação | Tecnologias Sociais | Transforma! - Rede de Tecnologias Sociais

Alimentação

Alimentação

Tanques Em Lajedos De Pedra

Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS)

Visando reduzir a vulnerabilidade de famílias rurais do semiárido frente à escassez de água e a irregularidade na distribuição de chuvas, foi resgatada e aplicada uma técnica que permite a captação de água de chuva. Esta técnica se refere aos tanques construídos em lajedos de pedras. O trabalho consiste em desassorear uma venda já existente na rocha e otimizar seu entorono para captação e aumplilação do volume de água armazenada. Quando o lajedo é declinado se torna mais viável otimizar a área como captação de água e canalizar para cisternas uma vez que a cisterna se constitui um local mais adequado para o armazenamento.

Temas: Recursos Hídricos Alimentação Ver mais

Tecnologia Juncao Modificada Para Produção De Cogumelos Comestíveis E Medicinais

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

A TECNOLOGIA "JUNCAO" MODIFICADA é uma técnica de cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais. Ela é baseada no aproveitamento de gramíneas, como principal componente, associadas a outros insumos, como farelo, gesso e outros resíduos orgânicos. Após essa etapa, o material é esterilizado, colocado em sacos de polipropileno e inoculado com “sementes” de cogumelos. Os materiais são transferidos para uma sala escura com o objetivo de iniciar o processo de desenvolvimento vegetativo do cogumelo. A tecnologia foi adaptada pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia para as condições tropicais. Suas principais vantagens são: aproveitamento de recursos agrícolas abundantes e inexplorados; boa produtividade; curto período de cultivo; praticidade e fácil aplicação; alta qualidade dos produtos; efeito intenso no balanço ecológico em área de solo com erosão (recuperação de áreas degradadas); produção em pequenas áreas e ausência do uso de agrotóxicos (URBEN et al, 2017). A tecnologia também tem contribuído significativamente para a economia circular baseada no reuso de materiais, contribuindo no desenvolvimento de outras atividades produtivas, como horticultura, fruticultura, pecuária, cosméticos, produção de fármacos, artesanato e bioenergia (ANTUNES et al., 2020). Em síntese, a TECNOLOGIA "JUNCAO" MODIFICADA proporciona que as biomassas pós-colheita dos cogumelos possam ser usadas como fertilizantes e defensivos agrícolas naturais. O principal impacto positivo relacionado ao aspecto trabalho/emprego está associado à capacitação. Os produtores em geral têm se dedicado em conhecer aspectos gerais e específicos da fungicultura. Alguns deles recorrem à prática de orientação de produtores mais experientes e outros se aprofundam em conhecimentos sobre marketing. Também é significativo o número de produtores que têm contratado mão-de-obra para auxiliar na produção, gerando impacto positivo sobre a qualificação e oferta de trabalho, principalmente os que se envolvem na produção do composto. Em média, cada produtor tem contratado dois colaboradores permanentes e dois temporários. Mesmo assim, a maior parte dos empreendimentos são familiares o que envolve o engajamento de cônjuges e filhos na produção. Em um universo de 20 produtores que têm se destacado na adoção da tecnologia, identificam-se pelo menos 6 mulheres à frente dos empreendimentos. Esse grupo feminino representa empreendedoras com suas empresas com marcas registradas, o que demonstra impacto sobre oportunidade, emancipação e recompensa equitativa entre gêneros, gerações e etnias. A tecnologia é repassada para a sociedade por meio da transferência de conhecimento na forma de cursos. Nestas capacitações o público alvo (agricultores, estudantes de graduação e pós-graduação, veterinários, entre outras áreas profissionais) torna-se habilitado a executar todas as etapas de cultivo de cogumelos, incluindo a produção de "sementes". Também há transferência de conhecimento por meio de workshops e simpósios internacionais. Ao total, já foram capacitados 1.751 agentes multiplicadores em um total de 53 Cursos, realizados durante o período de 1996 a 2019.

Temas: Alimentação Saúde Ver mais

Tecnologia Social De Formação De Agentes De Inovação Socioambiental (Ts - Agis)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

A Formação de Agentes de Inovação Socioambiental coloca em interação os saberes dos agricultores, pesquisadores, estudantes e extensionistas acerca das inovações sociotécnicas e do uso e gestão dos recursos (naturais, produtivos, culturais, técnicos, econômicos e sociopolíticos). Apoiada na cartografia social, em métodos participativos e na construção interdisciplinar do conhecimento agroecológico, reforçando as competências locais. A TS tem promovido o intercâmbio de experiências ancoradas no saber-fazer agroecológico em torno da produção orgânica e da segurança alimentar onde a geração de novidades sociotécnicas e aprendizagens territoriais ocupam lugar de destaque.

Temas: Meio ambiente Alimentação Ver mais

Fale Conosco