Manejo De Alternância Na Criação Coletiva De Aves Caipiras

por Associação Técnico Científica Ernesto Luis de Oliveira Júnior
Certificada 2019

Resumo

A TS propõe um manejo de alternância na criação coletiva de aves caipiras em quintais agrícolas, por mulheres agricultoras, como forma de garantir a autonomia e empoderamento feminino, pela geração de renda e segurança alimentar das famílias envolvidas. A metodologia do manejo leva em consideração as três principais fases de desenvolvimento das aves caipiras, que são: Inicial, Crescimento e Terminação; com duração de 28 dias cada. Ao final de cada fase, as aves são transferidas de galinheiros, sendo cuidadas por diferentes mulheres, por tempo igual, gerando entre as famílias envolvidas, um sentimento de pertence coletivo, o que facilita a divisão do trabalho e da renda gerada.

Ver mais



Anexos

  • ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE MULHERES
  • CONSTRUÇÃO COLETIVA DE TECNOLOGIA SOCIAL PARA MANEJO DE AVES CAIPIRA COM MULHERES DO ASSENTAMENTO PADRE ASSIS
  • PROPOSTA DE PLANTA DO GALINHEIRO
  • VISTA LATERAL
  • LICENÇA AMBIENTAL DA SUDEMA PB
  • PROJETO FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL

Locais de Implantação



Responsáveis

Crislene Rodrigues Da Silva Morais crislenemorais@yahoo.com.br


Associação Técnico Científica Ernesto Luis de Oliveira Júnior

(63) 2101-1277
atecel@atecel.org.br

Rua Aprígio Veloso, 882

Bairro Universitário

Campina Grande/ PB


Comentários

Associação Técnico Científica Ernesto Luis de Oliveira Júnior

(63) 2101-1277
atecel@atecel.org.br

Rua Aprígio Veloso, 882

Bairro Universitário

Campina Grande/ PB


Responsáveis

Crislene Rodrigues Da Silva Morais crislenemorais@yahoo.com.br


Fale Conosco