A melhor idade para recomeçar

18 de agosto de 2020
por Fundação Banco do Brasil - Camila Maxi

A terceira idade pode significar o início de uma fase para descanso, mas também para novas descobertas e realização de sonhos muitas vezes deixados de lado. É com este objetivo que a tecnologia social Empreendedorismo na Melhor Idade oferece educação empreendedora aos idosos, para que venham a dar sustentabilidade ao seu conhecimento, desta forma, promovendo sua reinserção em atividades produtivas e no mercado de trabalho.

A capacitação empreendedora é um projeto inovador com metodologia dinâmica que possibilita o mergulho nas inovações no mundo dos negócios. Os participantes passam por um treinamento realizado em duas semanas, com temas interligados, em aulas interativas com teorias e práticas. Posteriormente, são disponibilizadas consultorias para assistência e desenvolvimento dos projetos, sanando dúvidas e norteando o plano de negócio. O acompanhamento é individualizado, porém, pode ser assistido por familiares e pessoas envolvidas com os alunos, por meio de parcerias ampliando novas possibilidades.

“O grande impacto é perceber que sempre é possível viver a gestão do conhecimento. Os idosos se encantam com o projeto e os resultados em suas vidas. Se sentem mais jovens, valorizados, aptos a fazerem novos planos de negócios e novos planos de vida. Com muita garra em aprender e realizar sonhos adormecidos”, explica Heliane Gomes de Azevedo, diretora institucional e idealizadora do Instituto de Pesquisa e Projetos Empreendedores (IPPE).

Ela conta que muitos relatam o resgate da autoestima, valorização pela experiência de vida e reconhecimento. E que em seus depoimentos evidenciam cases de sucesso que atestam a importância do projeto em suas trajetórias. Além de reconhecer a bagagem de vida como sendo extremamente importante, o projeto atualiza renasce possibilidades e aproxima casais que participam do curso juntos, estimula a proximidade, troca de ideias, engajamento e benefícios comum. “Os próprios familiares que também frequentam o instituto relatam mudanças positivas ocorridas no ambiente parental, que se encontram mais animados, felizes e com novos projetos de vida e trabalho”, ressalta.

Um leque de possibilidades

As áreas para empreender são as mais variadas, seja no setor de serviços ou produtos. A turma da melhor idade tem suas preferências que permeiam as categorias: economia criativa, beleza, saúde e bem-estar, moda, artesanato, móveis e decoração, construção e reformas, além de alimentos e bebidas. “Muitos alunos despertam seu lado de empreendedorismo social, e até mesmo novas habilidades antes consideradas como hobby. Temos um case de um cantor que se transformou em artista profissional. A criação ou acompanhamento do plano de negócio trabalha o individual para se tornar um projeto que se estende ao coletivo”, detalha a executiva.

Ano de realizações

Certificada no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2019, a metodologia capacitou mais de 950 idosos. “Ter o selo da Fundação BB em nosso projeto é de suma importância. O reconhecimento e motivação que chancela os esforços em prol do coletivo. A certificação vem enobrecer nossas ações e fortalece a responsabilidade de aprimorar, construir e desenvolver inovações constantes para a sociedade gerando sustentabilidade, inclusão e um novo sentido de vida”, comemora a diretora.

No mesmo ano, a iniciativa conquistou o 1º lugar na categoria Pessoa Jurídica do Prêmio Pró-Longevidade da Rede Longevidade. E durante o segundo semestre de 2019 realizou o projeto “Eu e vocês – Vocês e Eu – Juntinhos”, ministrando minicursos, palestras e workshops.

“Os resultados superaram as expectativas, pois gerou conhecimento, integração, rede de contatos, criação de planos de negócios, remodelagem da vida, melhoria das relações interpessoais e familiares. Do projeto nasceu o intergeracional com alcance de mais 4 mil pessoas em 2019”, destaca.

Comentários

Fale Conosco